segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Pedro Malazarde (PEDROKA)

   Pedro malazarte que aqui vamos chamar de pedroka era o que hoje conhecemos como malandrão. Veio da Espanha e Portugal para o Brasil ( não se sabe se ele tinha uma casa na Espanha e outra em Portugal, a historia não é clara, outra coisa essa é uma historia do folclore brasileiro, mas o protagonista é um gringo, vai entender...).

   Pedroka já de saco cheio das mulheres de bigode com sovaco cabeludo e dos portugas de nomes Joaquim e Manuel veio para o Brasil desbravar o novo mundo numa época que ninguém sabe qual foi.
Pedro Malazarde (PEDROKA)
   Pedroka sem dinheiro pediu trabalho numa fazenda de um senhor muito rico que chamaremos de Eike batista, este que gostava de arrancar o couro dos empregados, quase como as empresas de linha de produção fazem hoje em dia.

   Quando pedroka chegou na fazenda o senhor Eike batista o presenteou com uma cadela que era carinhosamente chamada de Inês brasil.

   Eike então disse: o português burro do caralho, vá para a plantação e só volte para almoçar quando a cachorra Inês  quiser!


   Passou a manha inteira e pedroka já estava com a barriga roncando, apontou para a casa do senhor Eike e a cadela o ignorou, pedroka já muito puto com a situação percebeu o que estava rolando na parada.

   Pedroka então catou do chão um pedaço de pau, se aproximou da cachorra Inês e desceu o cacete no lombo dela, Inês então saiu correndo como se não houvesse amanha para a casa de Eike. Chegando lá pedroka falou:
- Ora pois estou a fim de comer
Eike vendo que Inês tinha voltado para casa disse:
- O português vadio, pode se servir.

   Pedroka raspou as panelas e lambeu o prato. Após se satisfazer voltou para a plantação para fazer de conta que trabalhava. Já era quase 8 h da noite quando pedroka olha para Inês e lá esta ela de pernas para cima, roncando e com a língua de fora debaixo de uma arvore, novamente com fome pegou o mesmo pedaço de pau de antes e chamou Inês na paulada, Inês saiu com o lombo ardendo e gritando de dor para a casa de Eike. Chegando lá pediu novamente o prato de comida e Eike com muito mau gosto passou a mão no saco, no cu serviu com a mão uma porção para pedroka e por ultimo ainda cuspiu e o  entregou, pedroka sem pestanejar comeu tudo e quando estava de saída Eike fala:
- O português de merda amanha bem cedo quero que capine a roça de mandioca!

   Pedroka acordou e foi limpar a roça , quase morreu de tanto capinar, fez calos nas mãos  e quando terminou voltou e foi em direção a Eike pedir seu prato de boia.

   E todos os dias Eike vinha com uma nova ordem, pedroka sempre de cara virada fazia as tarefas até que um dia se emputeceu e decidiu aprontar para cima de Eike.
Eike disse a pedroka:
- O português desgraçado, amanha quero que você vá a feira vender porcos, tá bom seu bosta!

   Pedroka muito malandro cortou o rabo dos porcos antes de vende-los, depois enterrou-os em um lamaçal e saiu que nem um retardado correndo em direção a casa de Eike.
- Senhor, senhor, venha ajudar os porcos estão atolados na lama.

   Eike vestiu suas botas de borracha, correu para o lamaçal, enquanto isso pedroka adentrou a casa de Eike e pegou todo o dinheiro, Eike ao chegar no lamaçal retirou somente o rabo dos porcos e se convenceu que a terra comera o resto ( está parecendo que foi um português que escreveu esse folclore!)
   Então todos os dias pedroka aprontava para cima de Eike dando-o muito prejuízo, até que um dia Eike percebeu a malandragem de pedroka disse:
- O português de merda tem um safado dando migué nas minhas paradas, amanha vou pegar a garrucha e vou ficar de guarda a espera desse maldito, me substitua a meia noite, está bem seu bosta!

   Pedroka percebeu que se tratava de uma tocaia das mais mal planejadas, correu no horário em direção a casa de eike e disse:
- Dona luma, dona luma, seu eike esta esperando a senhora no curral para curra-lá*..., mas leve este pau de fogo*, pois há rumores de um larapio na região!
   Dona luma saiu correndo toda torta em direção ao curral, pois queria aproveitar a ereção de eike, coisa que já não acontecia há anos.

   Quando dona luma chegou no curral toda ofegante e com um pau de fogo na mão eike aparece do nada e atira nas tetas de dona luma, tiro esse que perfurou a teta e atingiu seu coração, de repente aparece pedroka e acusa eike de assassinato.
- ora pois, o que estas a acontecer aqui, isso dá cadeia em Portugal!

   Pedroka nada discreto saiu gritando para que todos pudessem ouvir e ver o que eike havia feito. Toda a galera da vizinhança foi comprovar o fato. Eike então se sentindo muito culpado e com um medo tremendo de ser currado na prisão deu a pedroka um saco cheio de dinheiro para que desaparecesse e não contasse a ninguém o acontecido.

   E foi assim que pedroka voltou para a terrinha rico e com historia pra contar.
   Ao chegar em Portugal e trocar o real por euro se sentiu enganado e o maior trouxas dos trouxas.

- Ora pois, mas o real não esta a valer nada!    



*Curra-lá = Come-la
*Pau de fogo = Arma de fogo

Nenhum comentário:

Postar um comentário