sábado, 4 de julho de 2015

A PIOR MANEIRA DE SER APRESENTADO À FAMILIA DA NAMORADA

   Então, tudo começou quando sai do lugar onde estudava e fui até a casa da minha então ficante para termos aquela bela recordação um do outro, já que eu estudava em uma escola com regime de internato e só podia ir embora aos finais de semana,então decidi passar na casa dela,já que sua casa,cidade ficava no caminho da minha.
   Quando cheguei em sua casa, vi que não tinha ninguém alem dela (o que me pareceu muito bom), ela me recebeu e, por algum motivo me chamou para o banheiro (não sei se foi uma indireta para eu tomar banho ou se ela tinha um fetiche em brincar de fazer neném no banheiro, sei lá, só sei que entrei com ela no banheiro ) e ai começamos a fazer o que deveria ser feito, carinhos, aquela coisa toda,pega aqui,pega ali, até que num certo momento eu vejo um vulto passando perto da porta do banheiro, e disse assim:
- (fulana) Acho que tem alguem ai!
ela abriu a porta do banheiro, espiou e disse:
- ah, acho que é o meu pai!
Eu pensei " puta merda, fodeu!"
Dai o pai dela não vendo ninguém em casa começou a chamar:
- Fulana, cade você, você esta em casa?
Ai, não sei por qual motivo ela me disse espera ai, ela chamou seu pai e disse:

- Pai, acho que o chuveiro esta estragado...bla bla bla....
e o  maluco que era seu pai foi entrando no banheiro e eu tive que me esconder, quer dizer tentar me esconder, por que não tinha onde me esconder, então eu decidi usar a técnica de tentar ficar invisível, me encostei na parede e pensei"esse cara não vai me ver, não vai me ver,não vai me ver", lembrando que era um banheiro simples que tinha somente uma pia, um sanitário e um chuveiro, não era um lugar muito grande, nem mesmo médio, era um simples banheiro. Até certo momento achei que a técnica estava dando certo por que estava eu lá encostado na parede e os dois lá conversando sobre chuveiro,, eu na paranóia de que a técnica estava dando certo, decidi pegar minha calça que estava no chão (maluquice)  achando que ninguém ia perceber, foi quando o cara que eu achava que era seu pai olhou para mim e disse:
- Pode ficar tranquilo ae, já to de saída!
ai eu pensei "puta merda fodeu mesmo!"
e o maluco virou e foi embora, dai quando o cara foi para outro comodo eu a perguntei quem era, e ela disse que era seu irmão mais velho, ai eu disse:
-PUTA MERDA!
mas por algum motivo que não sei qual, se por falta de amor a vida, ou por extinto aventureiro, de adrenalina, ou pelo simples fato dos hormônios estarem a flor da pele, decidi ficar trocando carinhos com ela no banheiro ( não sei por que), até que sei irmão a chama em outro comodo e diz:
-FULANA, VEM AQUI, PRECISO FALAR CONTIGO!
eu disse:
-Tá bom pra mim já chega, outro dia a gente se vê...
e ela disse:
-Não! calma ai, já volto!
eu pensei " puta merda!"
   ela saiu e eu fiquei lá no banheiro sozinho, quase pelado segurando a calça. passou uns três minutos que mais pareceram três milênios, eu já louco pra ir embora (deveria ter feito isso!) e estava pra fazer, quando botei o pé pra fora do banheiro entram na casa uma pequena galera composta por uma mulher mais velha, que eu deduzi que era a mãe da guria que eu estava pegando e mas três garotas que eu achava que fossem as irmãs dela, imediatamente voltei as pressas para o banheiro, tranquei a porta e pensei " Caraí, agora realmente esta tudo fudido". Eu lá no banheiro pensando " uma hora ela vai voltar, uma hora ela vai ter que voltar!", não demorou muito até que alguem quisesse usar o banheiro, ao se depararem com o banheiro fechado disseram:
- Ei por que o banheiro tá fechado, ô fulana por que o banheiro tá fechado?
a fulana não respondeu, até que a guria que queria entrar no banheiro, de uma maneira muito bruta começou a forçar a porta, que   inclusive era uma porta sanfonada (aquelas que o pessoal coloca pra dizer que economiza espaço) e eu pensando "fodeu,fodeu",até que de tanto tentar, a desgraçada conseguiu abrir a porta e me pegou la com as calças na mão e disse;
- AHHHHHHH, TEM UM CARA NO NOSSO BANHEIRO!
Imediatamente vieram todas as pessoas da casa, a mulher mais velha que eu achei que era a sua mãe,suas outras duas irmãs, ela e seu irmão e ficaram me olhando lá encostado na parede com a calça na mão, até o momento em que a fulana diz:
- Ah,esse é o meu namorado!
ficou um silencio sinistro no ambiente por dois segundos e ninguém disse nada, ela apenas entrou no banheiro como se nada tivesse acontecido e ficou me olhando (wtf?), eu disse:
- Olha, acho melhor a gente se ver outro dia, com mais tempo e com menos chance de eu passar tanta vergonha como esta que estou passando!
ela ainda disse:
- Espera...
eu peguei meus tênis com a mão esquerda, minhas calças com a direita, botei minha mochila nas costas e sai com ombros caídos arrastando minha calça pelo chão, e ainda disse para a galera que se encontrava na mesma posição de quando havíamos entrado no banheiro:
- Falou galera, até a próxima!
e sai.


Depois de um certo tempo voltamos a nos encontrar ,mas nunca voltei em sua casa, e nunca mas tocamos no assunto, o "namoro" acabou, não por esse motivos mas as vezes paro e penso "será que daquele dia ela queria matar a saudade, me apresentar para sua família ou que eu simplesmente consertasse seu chuveiro?".

Nenhum comentário:

Postar um comentário