segunda-feira, 30 de junho de 2014

Vai Julio Cesar !!!

Pra que fazer isso? Torcedor sem noção!


Aeeeeee... o Brasil passou pelo Chile se arrastando, com garra, força e sorte e todos torcemos ou não.
Mas, existem torcedores e torcedores, esse cidadão ai do vídeo fez merda, são mais ou menos R$ 2.000,00 que seriam pagos a prestação com juros baixíssimos, que foram pelo ralo, que pena!
A alegria foi tanta que o jegue deu um murro na TV e riu pra não chorar, assista essa babaquice:


Tu não tem TV em casa rapaz ? não precisa quebrar a dos outros !!!
É, agora não tem mais como assistir as quartas de finais, esse cara nunca mais vai esquecer desse dia!

sábado, 28 de junho de 2014

UFC RUA / KIDS

Nooossa vei...
Não, isso não é no Brasil, é em algum pais cuja a língua é indecifrável, parece um submundo infantil ou então são anões com anemia, eu só me pergunto pelo o que elas estão brigando, por causa da boneca ou pela maquiagem?
Reparem aos 07 segundos, em que a garotinha de azul tira a chinelinha pra dar porrada na outra, isso é preparação!
Foi encarar a outra e tomou um bofetão, não quero induzir nenhuma criança a sair na porradaria por ai, mas já que está na net assista;


Que coisa feia crianças, a de rosa briga mais que eu... impressionante!!!
Vamos ver pelo lado positivo, ninguém morreu... menos mal!

sexta-feira, 27 de junho de 2014

OLHA A ÁGUA!!!


Que isso? não dá nem pra fazer mais jornalismo verdade descansado, essa repórter recebeu literalmente um balde de água fria ao fazer essa meteria, isso que dá ir na frente da casa de maluco drogado pra gerar conteúdo.
Está tudo errado ai, o jegue rapaz foi preso, a jumenta da namorada queria ir presa com ele pra ficar junto de seu grande amor, mas a anta não sabe que existem cadeias femininas e masculinas, e ainda por cima apronta com a humilde repórter, que ao invés de sair e fazer uma matéria seria, fez uma matéria de humor, bacana.
Não foi um, mas sim dois baldes de água fria, acho que ela merece um aumento.
Mas, não fica triste Larissa, se quiser pode vir se secar aqui em casa!




Isso que é jornalismo verdade... SQN!!!

terça-feira, 24 de junho de 2014

Loco - Os cara são f#d@ mesmo, pqp!!!


Tá ai ó, isso ai que dá liberar a maconha no Uruguai, os caras trazem pro Brasil e não deixam de usar nem na Transmissão ao vivo, não que tenha sido o caso do Loco Abreu, jamais, mais que um craque, um mito, um torcedor fanático que quer que tudo se foda e solta palavrões no ar como se fosse uma coisa normal, já não é de hoje que Loco Abreu fala palavrão no ar com naturalidade, Veja o comentário de Loco na Transmissão da ESPN;



Porra Loco, tem criancinhas, velhinhas e mulheres assistindo pô!!! 

Veja o Loco com larica:

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Calma...não se empolga tanto !!!

WORKAHOLIC


É um escravo trabalhador compulsivo;
É um vicio como o álcool ou outras drogas. São os casos que precisam de atenção, pois podem desenvolver problemas físicos e psíquicos de esgotamento. É comum sentir dores. Esta chegada ao limite também pode ser chamada de Síndrome de Burnout-distúrbio psíquico que se desenvolve a partir da fadiga física e mental com intervalos curtos de recuperação, como descanso e sono.

Você já parou para pensar que quatro pausas para um cafezinho de 30 minutos comem duas horas do seu expediente?

COMO É?

  • Obsessivo, competitivo e desorganizado;
  • A remuneração vale mais do que o prazer;
  • O trabalho é pesado com uma boa dose de obrigação;
  • Não comemora vitorias, as considera sua obrigação;
  • Pouco relacionamento e vida social;
  • Alto nível de estresse;
  • A pessoa foge da vida dela pelo trabalho;

terça-feira, 17 de junho de 2014

Por que dizemos alô ao atender o telefone

Quando o Escocês  Alexandre Graham Bell patenteou o telefone, em 1876, queria que todo mundo atendesse o aparelho dizendo "ahoy", uma saudação náutica. Nessa época, uma preocupação geral era como cada interlocutor iria saber que o outro queria falar. Foi cogitado adotar uma campainha para um indicar o outro de quem era a vez. Mas, em 1877, Edison escreveu uma carta ao diretor da companhia telegráfica dos EUA dizendo que não tinha certeza se a campainha era mesmo necessária. Um mero "hello" ou "olá" já resolvia o impasse.
Por ser uma saudação mais comum que "ahoy", o "hello" acabou pegando rápido. O mais provável é que a palavra derive do termo húngaro "hallod", que significa "está me ouvindo?". O "alô" em português é uma tradução direta.