terça-feira, 27 de maio de 2014

Reclamando: A porta do banco!


Eu não sei se as pessoas são burras ou se fazem de idiotas!

Pego um dos jornais mais influentes do estado e começo a leitura diária, mas qual a minha surpresa ao me deparar com a matéria "A saga da porta do banco" do caderno Donna ZH em que a colunista,escritora, whatever Claudia Tajes comenta sobre situações que acontecem na porta de bancos; tenho certeza de que a mesma que tira celular, chaves, moedas e óculos é a mesma que tem consigo uma bolsa imensa com dezenas de quinquilharias e com incontáveis argolas de metal, quando vejo isso me pergunto: Para onde esta pessoa esta indo? será que está indo acampar? está de viagem? ou apenas de sacanagem consigo mesma tendo que carregar uma bolsa imensa. Chega ser engraçado, as vezes a pessoa está corcunda de tanto peso que carrega ali, mas mesmo assim insiste em carregar inutilidades.

Nunca vejo uma meteria na Tv ou no jornal elogiando o policial, o medico ou um professor, que por sinal deveriam ser os profissionais mais bem remunerados por fazerem parte da base para se ter um pais decente com pessoas criativas, educadas,saudáveis e seguras.

Também  ouvi estes dias o áudio de um programa muito famoso no estado, em que os integrantes reclamaram de que a policia não agiu em determinada situação, mas o que fazer?  se quando a policia age e repele o vagabundo falam que a policia agiu de maneira ríspida, e quando a policia simplesmente não faz nada e deixa o vagabundo ir embora  reclamam de que não fez nada.

Você realmente acha que vagabundo tem que ser tratado com educação e cordialidade? aff...

Começo o texto me perguntando se as pessoas são burras ou idiotas pelo simples motivo de existirem diversas informações e instruções antes da pessoa adentrar no recinto, mas por algum motivo a pessoa simplesmente ignora tudo, empina o nariz e segue em direção a porta para ser repreendida logo depois e ainda se acha no direito de reclamar quando ao invés disso deveria sorrir e agradecer pela segurança que está sendo prestada.


A autora também comenta sobre como se fosse em outro pais, em que as pessoas protestam tirando as roupas, isso seria um favor ao profissional que está ali, dependendo da pessoa o dia poderia até se tornaria mais agradável.

Também fala sobre o porque de trancar o idoso, a aposentada, o motoboy, o cliente conhecido e mais...
Queridona... todo mundo tem seu dia de fúria, quem garante que um desses acima citados um dia , simplesmente queira se vingar da vida e do mundo e fazer uma bobagem lá naquele lugar em que você fica reclamando que tem que ficar semi-despida para entrar e pagar contas? Vou te dar uma baita dica que talvez tu ainda não saiba que exista; é possível pagar boletos e contas pela internet e deixar de perder tempo reclamando do que te protege.

Isso já faria de nos pessoas melhores!

3 comentários: