terça-feira, 25 de setembro de 2012

GRIPE: Pandemia, uma historia que nunca acaba

Veja aqui as que mais causaram o caos na terra,as principais pandemias:


1580: Surgida no verão,uma gripe saiu da ASIA para a AFRICA e tomou a península Europeia em seis meses,ate chegar a America do Norte.Deixou um numero incalculável de mortos + - 10% da população da época.

1729: Surgida na primavera Russa,uma gripe seguiu para oeste e na metade do ano contaminou toda a Europa.Durante 36 meses a doença causava o caos no mundo,matando quase 500 mil pessoas.

1781: Na China,durante o outono surge uma gripe que vai a Russia,e de la é disseminada a Europa inteira em 8 meses.

1830: No inverno chines a pandemia espalhou-se pelo sudeste da ASIA,passando pela Russia e a Europa,chegando as Américas um ano depois e voltou para Europa em 1833,infectando 20% a 25% da população.

Apartir dessa  data as pandemias começaram a ganhar nome


1889 (GRIPE RUSSA): Surgida no sul da Russia,ela se espalhou pela Europa,Um barco que vinha da Alemanha trás a doença para salvador,onde infecta metade dos moradores da região,no RJ o vírus atinge Dom Pedro II na finaleira da monarquia.

1978 (GRIPE ESPANHOLA H1N1): No ultimo ano da I Guerra Mundial surgiu a mais grave,começando nos EUA.O movimento das tropas espalhou a doença pelo mundo,infectando 40% da humanidade em 24 meses.

1957 (GRIPE ASIÁTICA H2N2): Começou na China,fevereiro foram só 3 meses ate a doença chegar a Oceania,e depois de 8 meses estavam compartilhando a pandemia com o resto do mundo.

1968 (GRIPE HONG KONG H3N2): A ultima pandemia do seculo XX que em 6 meses saiu da China e chegou as Américas.

2009 (GRIPE A H1N1): Foi a primeira pandemia do seculo XXI,depois de confirmados os primeiros surtos nos EUA e no México a doença é detectada em todos os continentes.

Qual sera a próxima?onde ocorrera? Só resta esperar porque esse tipo de pandemia só da um tempo (hiato) de alguns anos e depois volta para tocar o horror e exterminar milhares de pessoas no mundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário